Ela nunca aceitou o fracasso
11 de abril de 2021
“Jesus foi bom para você”
20 de abril de 2021

Ouvido era oco e volta ao normal

Foto: Rodrigo Di Castro

Amanda Pieranti


Doralina Fatima recuperou a audição após clamor realizado em um dos cultos dirigidos pelo Missionário no Rio Grande do Sul, onde o impossível aconteceu

Três reuniões de fé, vários ensinamentos da Palavra e muitas bênçãos marcaram a visita do Missionário R. R. Soares à sede estadual da Igreja Internacional da Graça de Deus em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em 21 de fevereiro. “Nosso Deus é poderoso. Ele é o nosso Amigo, entende nossa vida e quer operar em nosso meio de maneira grandiosa. Não importa quem você seja nem o que tem. Abra seu coração para o Altíssimo entrar e fazê-lo feliz”, declarou ele em uma das concentrações.

“Jesus continua o mesmo. Basta você crer nEle, para ser curado”, declarou R. R. Soares na reunião das 14h, antes de clamar por quem sofria de distúrbios auditivos. Doralina Fatima Amaro de Lima participou da súplica e foi surpreendida pelo poder divino. Ela era surda do ouvido esquerdo havia quase 30 anos, desde que operou para retirar um neurinoma, tumor localizado no meio da cabeça, no nervo principal, que vai do ouvido interno ao cérebro.

 “Como o problema já estava enraizado, além de removê-lo, os médicos tiveram de retirar o nervo auditivo, deixando meu ouvido oco. Eu não escutava nada. Inclusive, a orelha era insensível. De acordo com os especialistas, eu jamais voltaria a ouvir com o lado esquerdo. Mas, naquele dia, quando orei com o Missionário, o impossível aconteceu.”

Enquanto suplicava, Doralina percebeu que estava escutando com o ouvido operado. No entanto, não foi logo à frente testemunhar a bênção, pois demorou a acreditar no que tinha acontecido. “Fiquei no meu lugar, testando. Tapava o ouvido bom, para ver se ouvia do lado ruim, e realmente estava ouvindo. Só depois de algum tempo, fiquei convencida do milagre e contei para o Pr. Victor Martins [líder da IIGD no Rio Grande do Sul].”

Após comprovar a cura, ela ligou para o marido contando o que o Criador fizera. “Falei com ele com o celular apoiado no ouvido que era ruim. Foi uma vitória. Antes, não escutava direito. Agora, ouço perfeitamente. Também recuperei a sensibilidade na orelha. Deus pode tudo. Sempre tive muita fé nEle”.

Doralina Fatima – Foto: Arquivo Pessoal

“Não sou mágico”

Na oportunidade, R. R. Soares orientou os participantes dos encontros a se envolverem na Palavra: “Você não pode ser um peixe fora do aquário do Senhor; tem de beber da Palavra dEle para ser abençoado. Não sou mágico. Quem cura é a sua fé, que precisa ser forte, senão o milagre não acontece. O Pai nos fez reis e sacerdotes – soberanos sobre qualquer enfermidade ou problema. Exija que o mal saia, e isso acontecerá”.

De acordo com o Missionário, quem nos dirige é o Senhor. “Hoje, o Altíssimo chama você para um recomeço. Este é o Ano da Retomada. É hora de iniciar uma nova caminhada. Deus quer que vivamos bem, mas existe um preço a pagar: ser obediente a Ele”, explicou o líder da Igreja da Graça.

Marciano Lino – Foto: Rodrigo Di Castro

“Tenho 62 anos, mas me sinto com 25”

Marciano Lino também foi abençoado na oração da fé. Devido a uma bactéria alojada na perna esquerda, causando dor e queimação, atingindo até o pé, ele corria o risco de ter o membro inferior amputado. “Fiquei quatro dias internado tomando antibiótico, fazendo lavagem e usando pomada.”

A amputação foi descartada, mas ele ficou com sequelas após ter alta. “A perna doía. Eu andava com dificuldade, e a queimação continuava. Era horrível. Cheguei à Igreja mancando, clamei e conquistei minha bênção. A dificuldade acabou, estou pisando firme. Tenho 62 anos, mas me sinto com 25, um guri”, brincou.

Nódulos sumiram dos ombros

Há cinco anos, Ana Caroline Porto sofria de atrofia muscular. O problema acontece por causa da mudança climática e da alteração de humor. No caso da jovem, os sintomas eram mais fortes quando ela ficava chateada ou preocupada. “Além de os nervos do corpo atrofiarem, surgiam nódulos no ombro, pescoço, na nuca e nas costas. Eu sentia uma dor intensa, que atingia o nervo ciático e as pernas.”

Segundo Caroline, a primeira vez em que ocorreu a doença, ela ficou dois meses incapacitada. “Dependia do meu pai e da minha mãe para tomar banho. Nem sequer conseguia ficar sentada, em pé ou deitada. Foi algo que me incomodou muito”, conta ela, que chegou à reunião com dois nódulos nos ombros. Mas, durante a oração, eles sumiram junto com a dor. Parece que tiraram uma carreta de cima de mim. Sinto-me leve, como se fosse outra pessoa. Dias depois da reunião, fiquei chateada com determinada circunstância, mas nem a atrofia nem os nódulos reapareceram. Graças a Deus, estou liberta.”

Ana Caroline – Foto: Rodrigo Di Castro

 Viver a Palavra com intensidade

Após as reuniões do Missionário, o Pr. Victor Martins declarou que todas as mensagens do líder da IIGD tocaram o coração das pessoas: “O apóstolo Paulo nos ensina a andar por fé, e não por vista [2 Coríntios, capítulo 5, versículo 7]. Nós, gaúchos, viveremos a Palavra com intensidade”.

Na capital gaúcha, ele realiza cultos especiais aos domingos, às 8h30, 15h e 18h. “É o Dia dos Filhos de Deus. Participe e receba sua vitória!”, convida.

A sede estadual da IIGD em Porto Alegre fica na Av. Júlio de Castilhos, 492 – Centro Histórico.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Follow by Email
Instagram
WhatsApp