Sucesso em apenas cinco meses
3 de janeiro de 2022
“Foi o imóvel que projetamos”
10 de janeiro de 2022

Vida paralisada pelo medo

Paulo Ricardo – Foto: Arquivo Pessoal

Temendo o pior, Paulo Ricardo se isolou e entrou em depressão no auge da pandemia. Saiba o que ele fez para superar a doença


Claudia Santos


As mortes, o isolamento social e o fechamento do comércio, no início da pandemia do novo coronavírus, abalaram Paulo Ricardo Françosi. “Fiquei deprimido devido ao grande número de óbitos por causa da covid-19. Tinha pavor de morrer ou de algum familiar ser a próxima vítima.”

Ele diz ter se cuidado, evitando a infecção, mas acabou contaminado. “Apesar de sentir tontura, fraqueza e febre, não precisei ser hospitalizado, pois os sintomas eram leves. Mesmo assim, o medo de falecer aumentou, e entrei em depressão.”

A loja dele, especializada em produtos agropecuários e rações de animais, foi um dos setores com permissão para abrir, seguindo as medidas de restrição sanitárias. “No entanto, eu não conseguia ir trabalhar; só queria ficar em casa isolado. Meu filho e uma prima tomaram conta do negócio nesse período.” 

“Pior momento”

Rosilane Françosi – Foto: Arquivo pessoal

Sem conseguir administrar suas emoções, Paulo procurou dois psiquiatras e, além da depressão, foi diagnosticado com síndrome do pânico e ansiedade. “Tomei antidepressivos, mas continuei mal. Foi o pior momento da minha vida. Não tinha vontade de fazer nada.”

Obreira da Igreja da Graça, Rosilane Françosi, irmã de Paulo, orava por dele. “Ela também me incentivava a participar das lives das Mulheres que Vencem, grupo de intercessão da IIGD. As mensagens de fé e o clamor delas me ajudaram bastante.”

Esse suporte espiritual pela internet fez a diferença: “Apesar de conhecer Jesus e ser membro de uma congregação, ele não tinha forças para vencer. Foram seis meses de luta. Ele nem se alimentava direito. Porém, participando das súplicas com as Mulheres que Vencem, ele melhorou”, lembra-se Rosilane.

“Já voltei a trabalhar”

Ela intensificou as orações e orientou Paulo a ir aos cultos na Igreja da Graça em Eldorado do Sul, município da região metropolitana de Porto Alegre (RS), próximo à residência dele. Quando chegou ao templo, ele foi muito bem recebido pela Pra. Fátima Mello, responsável pela IIGD local. “Além de orar por mim, ela me ajudou a superar as enfermidades, pois passou por problemas semelhantes e, com Jesus, conseguiu se libertar.”

A partir daquele dia, Paulo clamava nos cultos, e o Senhor lhe concedeu a vitória. “Cristo me livrou da depressão, síndrome do pânico e ansiedade. Já voltei a trabalhar e retomei minhas atividades.” 

A Pra. Fátima acompanhou a transformação do empresário e agradece ao Pai o milagre. “Ele foi curado pelo poder de Deus, que enviou Seu Filho, a fim de nos dar vida em abundância, como Paulo tem hoje”, declarou ela. 

A Igreja da Graça em Eldorado do Sul está situada na Rua do Comércio, 28.

Paulo Ricardo e Pra. Fátima Mello – Foto: Arquivo pessoal

1 Comment

  1. Claudinha Santos disse:

    Que benção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *