Curada de derrame articular
1 de novembro de 2020
Três motivos para ser feliz
15 de novembro de 2020

“Uma pessoa ruim”

Inajara com o marido, Jerônimo, e o filho, Noah – Foto: Arquivo pessoal

Inajara se definia assim, quando brigava com o marido e desejava o mal às pessoas. Saiba como ela conseguiu mudar


Amanda Pieranti


Milhares de pessoas são abençoadas nos cultos da Igreja Internacional da Graça de Deus, principalmente nas reuniões da Família. Inajara Vieira Barros é um exemplo disso. Agressiva, ela se desentendia com o então companheiro, Jerônimo Gonçalves Alves, e desejava a morte a quem lhe desagradava. “Eu era uma pessoa ruim e tinha pensamentos negativos.”

Jerônimo só descobriu o temperamento hostil de Inajara quando ambos passaram a viver juntos. “Ela era oprimida e revoltada. Falava mal de todos e odiava criança, com exceção de dois sobrinhos dela. Nosso convívio era pesado”, diz ele, que, na época, já conhecia a Palavra e tentava evangelizar a companheira.

No entanto, Inajara não acreditava em Deus e debochava se Jerônimo falasse dEle. “Quando eu assistia à programação da Igreja da Graça, ela dizia que detestava o Missionário e ficava chateada comigo”, conta ele.

“Escutava vozes”

Com o tempo, a situação piorou. Além da agressividade, Inajara passou a sofrer perturbações mentais. “Enxergava vultos em casa e via objetos saírem do lugar e caírem do nada. Também escutava vozes chamando o meu nome e tinha pesadelos”, lembra-se ela.

Nesse período, o casal quase se separou, devido às constantes discussões. “Jerônimo estava sempre no hospital com pressão alta, porque eu brigava muito com ele. Era um transtorno viver comigo”, admite Inajara.

Apesar dos problemas, o companheiro a amava e queria vê-la bem. Por isso, orava para que Jesus a libertasse. Até que, um dia, ela lhe perguntou como era conhecer Cristo. “Vi nessa indagação o agir do Senhor. Aproveitei a oportunidade e evangelizei Inajara com amor e cuidado, e ela recebeu bem a Palavra”, revela Jerônimo.

Nova vida

Algumas noites após a conversa, Inajara teve um pesadelo: “Sonhei com uma imagem terrível. Dei um grito e acordei agitada, chorando compulsivamente. Parecia estar hipnotizada. Quando amanheceu, meu marido me levou à Igreja da Graça, onde o pastor orou por mim, e manifestei espíritos do mal.”

Depois do clamor, as perturbações diminuíram: “Passei a dormir melhor, participei das reuniões com o Jerônimo e fui liberta. Comecei a me sentir leve. Aceitei Cristo como Salvador e mudei completamente. O Pai celestial me renovou; eu me arrependo de não tê-Lo aceitado antes”, revela.

Paz e harmonia

O cotidiano do casal foi igualmente transformado. Eles estão felizes e em harmonia. Oficializaram a união e tiveram um filho, Noah, que está com dois anos e quatro meses. “Tenho o casamento amoroso que pedi ao Senhor. Ela possui uma fé inabalável e me fortalece espiritualmente”, declara Jerônimo.

Inajara vive em paz ao lado do esposo: “Agradeço ao Senhor pelas pequenas coisas, como acordar e desfrutar de mais um dia, e por ter me dado meu filho, minha família, meu trabalho, minha casa e meu marido, que me mostrou a Verdade”, finaliza ela.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *