Jornal Show da Fé – 185
1 de junho de 2021
Diabo queria beber o sangue dele
1 de julho de 2021

“Meu filho machucava as crianças até tirar sangue”

Foto: Divulgação IIGD

Claudia Santos


Várias mães tiveram os filhos abençoados e libertos de diversos problemas ao participarem dos cultos na Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD). Maria Odete Gomes é uma delas. Ela pediu ao Senhor que mudasse o temperamento de Gabriel e foi atendida. 

“Ele começou a estudar com dois anos de idade, no Maternal. Desde então, mostrou-se um aluno agitado e agressivo. Eu sempre recebia queixa dos coordenadores da escola, pois meu filho machucava as crianças até tirar sangue”.

As reclamações levaram a mãe a matriculá-lo, ao terminar o ano letivo, em outra instituição de ensino, pensando que o comportamento dele mudaria, porém a situação piorou. “As brigas com os coleguinhas se tornaram ainda mais constantes. Ele os socava e lhes dava pontapés”.

Menino mudou de comportamento

Segundo Maria Odete, os pais dos outros alunos chegaram a fazer um abaixo-assinado pedindo a expulsão de Gabriel. Mas a direção da escola decidiu dar a ele mais uma chance, desde que ela o levasse a um psicólogo. Então, mãe e filho passaram a fazer terapia. “Além disso, ele fazia acompanhamento com psiquiatra e tomava três medicamentos controlados diariamente para frear a agressividade”.

Apesar do tratamento, Gabriel continuou apresentando o mesmo quadro. Frequentemente, era expulso da sala de aula, deixando a mãe bem preocupada com seu futuro. “Esse sofrimento durou seis anos, e ele mal sabia ler ou escrever”.

De acordo com a responsável, o menino só começou a mudar as atitudes depois que ela clamou pela libertação dele nos cultos da IIGD. “Participava das reuniões, determinando o fim daquela opressão, e o Senhor o transformou. Hoje, com 15 anos, Gabriel é estudioso, calmo e atuante no trabalho de evangelização da Igreja da Graça”.


2 Comments

  1. Sou Roselaine, fui tia da escolinha aonde o menino Gabriel ia, junto com sua mãe que frequentava os cultos da IIGD, realmente acompanhei as agressividade dele com as crianças, mas sempre acreditando que Deus ia fazer a obra na vida dele, pois sua mãe sempre buscando a libertação dele nos cultos.
    E Deus é Fiel, então hoje vejo o Gabriel, um menino doce, calmo, buscando a Deus, é maravilhoso ver como quem não desiste, recebe a bênção.

  2. Gláucia disse:

    Fico feliz que ele tenha melhorado o comportamento, é bom ter outra visão “espiritual”, nem tudo que acontece com nossas crianças e jovens é TDH, Autismo, Imperatividade entre outras coisas que são usada para dopar nossos pequenos com ritalina no mundo atual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *