“Meu marido estava condenado à morte”
31 de julho de 2021
Corria risco de ficar cega
1 de setembro de 2021

Libertação e paz

Foto: Arquivo pessoal

Claudia Santos


Edson Luiz Rodrigues ainda era jovem quando conheceu o mundo das trevas: bebia muito e se tornou fumante. “Consumia até duas cartelas por dia”, conta.

Acreditando estar no caminho certo, ele só experimentava frustrações, mesmo após se casar. “Meu salário mal dava para cumprir as responsabilidades mensais. As despesas se acumulavam”.

Havia motivos de sobra para as brigas no lar. “Como eu trabalhava à noite, deixava a esposa e a minha filha pequena sozinhas. Além disso, retornava embriagado e sem dinheiro”.  

Os rituais dos quais participava em nada ajudavam a mudar aquela situação. “Eu pedia aos espíritos que me fizessem prosperar, mas nunca tive êxito”.

A grande prova do poder divino

O início da transformação de Edson foi quando a cunhada dele passou a levar a sobrinha aos cultos infantis da Igreja da Graça. “Depois, minha mulher começou a acompanhá-las e entregou a vida a Jesus. “Então, ela me chamava para ir junto, porém eu sempre recusava o convite”.

Os dias se passaram, e Edson se acidentou. “O meu carro teve perda total, mas eu sofri apenas um arranhão. Deus poupou a minha vida.  Desse dia em diante, decidi frequentar a Igreja e aceitei Cristo”. 

Ele assumiu um compromisso com o Senhor. “Aprendi a determinar minha libertação. Abandonei o cigarro e as bebidas, consegui um novo emprego, e Deus concedeu paz ao meu casamento. Só lamento não tê-Lo conhecido antes”.


1 Comment

  1. Davi disse:

    Muito bom esse jornal. Agora ficou mais fácil acompanhar as boas notícias!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *