“Meu marido estava condenado à morte”
31 de julho de 2021
Corria risco de ficar cega
1 de setembro de 2021

Infância com cheiro de nicotina

Foto: Divulgação IIGD

Claudia Santos


Em torno dos dez anos de idade, Maria Guilhermina Barroso trocou as bonecas pelo cigarro. Tudo começou quando viu suas irmãs fumando. Ela sentiu desejo de experimentar e se tornou dependente. 

“Durante 38 anos, eu consumia até três maços diariamente. Gastava muito dinheiro comprando esse veneno. Pensava em largar, mas não tinha forças”, recorda-se. 

Mesmo após formar uma família, Maria Guilhermina continuou naquele mundo. “Nas compras, eu preferia trocar os alimentos pelo cigarro, porém nem me importava com as consequências. Na minha casa, o cheiro de nicotina entranhava até nos lençóis, travesseiros, nas cortinas… Em mim também!”.

Oração e fé

Certo dia, Maria Guilhermina sintonizou a televisão no Show da Fé. Naquele momento, o Missionário R. R. Soares orava pelos necessitados de libertação. “Aproveitei para clamar pela minha vida. Chorando bastante, pedi a Deus o fim daquela dependência e senti que Ele ouviu as minhas súplicas”.

Então, ela decidiu aceitar o convite do marido para ir à Igreja da Graça, a qual ele frequentava. “Depois da pregação da Palavra, aceitei Cristo. Assim, fui liberta, para honra e glória do Nome de Jesus”.


4 Comments

  1. André disse:

    Glória a Deus!!!!
    JESUS MARAVILHOSO!!!!

  2. Tácia Lopez disse:

    Jesus é lindo! Só ele pode libertar.

  3. Luan Borete disse:

    Benção tremenda!

  4. Gabriel disse:

    Glória a Deus!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *