Trabalho, fé e bom atendimento
8 de novembro de 2020

Curada de derrame articular

Creusa da Silva Santos – Foto: Divulgação IIGD

Enferma, Creusa sentia dor intensa e dificuldade para andar


Claudia Santos


Os joelhos de Creusa da Silva Santos começaram a doer e inchar. Ela procurou um médico e, após fazer exames, descobriu estar com a cartilagem gasta e derrame articular, também conhecida como água no joelho. Os principais sintomas dessa doença são dor, inchaço e vermelhidão.

 “Sentia muita dor e um peso terrível nas pernas. Os medicamentos receitados pelo especialista eram ineficazes, eu só gastava dinheiro. Como não havia melhora, a saída era operar.”

Enquanto ela aguardava a data marcada para a cirurgia, o problema de saúde piorou. “O sofrimento só aumentava. Eu quase me arrastava devido ao desconforto. Em casa, precisava me escorar nas paredes e nos móveis para me locomover. Além disso, tinha muita dificuldade de subir e descer escadas.”

Cirurgia seria de risco

Diante dessas limitações, Creusa recebia a ajuda dos familiares, principalmente ao se sentar e se levantar. “Nem conseguia mais sair de casa. Minha filha pagava as contas, ia ao supermercado, enfim fazia tudo o que precisasse na rua. Ela também realizava outras tarefas, como limpar a casa e cozinhar.”

Apesar do sofrimento, Creusa temia fazer a intervenção cirúrgica, porque, segundo os médicos, seria de risco, em decorrência da idade dela, 78 anos. “Então, conhecedora do poder do Altíssimo, passei a suplicar-Lhe pela restituição da minha saúde”, conta Creusa, membro da Igreja Internacional da Graça de Deus em Inoã (RJ), liderada pelo Pr. Alexandre Teixeira.

Exames comprovam o milagre

Além de contar com as orações do pastor e dos obreiros da congregação, Creusa clamava pela cura assistindo aos programas de TV do Missionário R. R. Soares. “Não tinha condições físicas de ir às reuniões, mas usava minha fé, durante a oração pelos enfermos, e tomava a água consagrada ao Senhor. Assim, fiquei curada.” 

De acordo com ela, a dor e o peso nas pernas desapareceram. “Estou andando normalmente; subo e desço escada sem dificuldade. Os novos exames comprovam o milagre. Como meus joelhos não apresentam mais anomalia, os médicos descartaram a cirurgia. Curada, posso cuidar da casa e sair para fazer compras e pagar as contas. Também voltei a participar dos cultos na Igreja. Agradeço a Deus essa bênção”, revela.


1 Comment

  1. Francisca Rosa dos Santos disse:

    Glória a Deus irmã! Amém

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *